Mais informações: +55 11 2367-0029 ou contato@nodariconsultoria.com.br

Capital de Giro: O que é e como administrar?

Um dos maiores desafios para uma empresa, principalmente se for de micro ou pequeno porte, é ter dinheiro em caixa para seguir com suas operações, uma reserva para eventuais emergências ou para investir no desenvolvimento do negócio. Para isso, é fundamental que gestores e empreendedores saibam administrar o capital de giro com sabedoria.

Ao decorrer deste conteúdo, você irá aprender o que é capital de giro e como administrá-lo para manter o caixa de sua empresa sempre em dia, não precisar de financiamentos ou empréstimos com juros astronômicos para quitar débitos e conseguir se manter seguro mesmo quando surpresas desagradáveis vêm à tona. Boa leitura!

Para complementar o aprendizado: Estratégia Financeira: quais são os passos e os cuidados na sua elaboração

O que é capital de giro e qual sua importância para as empresas

O capital de giro é a reserva de dinheiro usada para arcar com os custos de funcionamento de uma empresa, água, energia elétrica, internet, funcionários, fornecedores, recursos produtivos, entre outros.

Por isso, o capital de giro é o fator mais importante que existe para uma empresa, é ele quem garante a saúde financeira do negócio e possibilita que ele continue funcionando, ou seja, é ele quem assegura o pagamento aos fornecedores, mantêm o estoque, paga os impostos, salários e quaisquer outros custos e despesas operacionais.

Além disso, com capital de giro é possível oferecer vendas à prazo para os clientes, fator importantíssimo num cenário econômico tão instável e preocupante, afinal, nos dias de hoje é raro encontrar uma pessoa que não prefere pagar à prazo e sem juros, não é mesmo?!

Como você pode ver, é muito evidente a importância do capital de giro para uma empresa, mesmo porque ela sequer estaria funcionando caso ele não existisse. No entanto, notar como este recurso é fundamental para seu negócio não é o suficiente, é preciso gerir este capital com muito controle e um bom planejamento estratégico. E então, pronto para aprender como fazer isso?

Confira: Como ter uma gestão de custos eficiente na sua empresa

Como administrar o capital de giro de sua empresa

Antes de qualquer dica para administrar o capital de giro, é indispensável reconhecer que o controle de entradas e saídas à longo prazo é o ponto crucial para manter o ponto de equilíbrio financeiro de uma organização. Além disso, é preciso entender que o capital de giro está SEMPRE ligado à um prazo de validade, por exemplo: a empresa precisa de um valor X de capital de giro para funcionar por um mês; ou a cada 15 dias o negócio precisa de “tantos” reais para manter sua atividades, pagar as contas e fazer uma reserva de segurança.

Sabendo disso, você está preparado para seguir as dicas abaixo e manter uma boa saúde financeira de sua empresa, confira:

1º passo – Identificar e cortar gastos desnecessários

É muito comum ouvir de empreendedores que é preciso reduzir os custos de funcionamento para aumentar a rentabilidade ou manter vivo o negócio. No entanto, existem muitos gastos rotineiros que podem ser reduzidos e não são notados. Descubra o que pode ser diminuído, eliminado e crie estratégias para encontrar saídas para cortar esses gastos desnecessários.

Exemplo: Você sempre compra papel higiênico para o banheiro dos funcionários de um mesmo fornecedor, pelo simples fato de ser cômodo e costume, você continua adquirindo os produtos dele sem nem ao menos verificar se existem outros fornecedores com preço melhor.

Corra atrás do prejuízos! Examine todos os custos e avalie o que pode ser reduzido ou eliminado.

2 º Passo – Seja disciplinado e tenha o controle sobre seu dinheiro

Em hipótese alguma utilize seu capital de giro para tapar buracos sem ter o dinheiro para repor, ele não serve para pagar despesas que não estejam relacionados com os custos de funcionamento da empresa e, caso isso aconteça, saiba que a data do velório de seu negócio estará marcada. Seja firme com o controle de suas finanças para reduzir riscos e garantir que a empresa não chegue à um ponto sem retorno.

Para aprender mais: Indicadores de Desempenho Financeiro

3º Passo – Negocie!

Desde o início da sociedade, o ser humano negocia para conseguir as melhores formas de pagamento na hora de adquirir algo. Por que você não faria isso?! Procure as melhores maneiras de acertar suas contas com os fornecedores, afinal é uma relação de parceria, você precisa dele pra funcionar e vice-versa. Peça prazos maiores, desconto em pagamentos à vista, o mercado é concorrido e não existe somente um fornecedor de seus recursos produtivos. Se o atual não aceitar ou flexibilizar, basta procurar um novo.  Após seguir este passo, em pouco tempo você irá notar a diferença no caixa.

Faça o mesmo com os clientes, não deixe de negociar, sempre busque receber no menor espaço de tempo possível. No entanto, é preciso analisar seus concorrentes, pois se você não disponibilizar formas de pagamentos confortáveis, provavelmente seus clientes irão até eles, tente sempre manter a competitividade. Você também pode fazer ofertas para tirar o capital parado em seu estoque e transformá-lo em capital de giro, faça promoções com os itens velhos do estoque, tente acabar com eles o mais rápido possível sempre!

4º Passo – Aumente sua margem de lucro

Este passo só é possível de ser dado se você já estiver praticando os demais passos. Como você cortou gastos desnecessários, reduziu custos operacionais e já está negociando melhor com seus fornecedores, é possível aumentar sua margem de lucro, uma vez que seus custos operacionais são menores e seus produtos continuam com o mesmo valor. Isso não quer dizer que não possa ser reduzido o preço de seus serviços, mas busque sempre uma margem de lucro maior do que você tinha anteriormente.

Leia também: Precificação de serviço: o que é preciso saber para calcular seu preço de venda

5º passo – Se você tem dívidas, faça um empréstimo e pague suas contas

Caso a bomba já tenha estourado no financeiro e a situação saiu do controle, é preciso ser consciente e entender que fazer um empréstimo, mesmo com os juros altos, é mais sadio para o equilíbrio financeiro do que usar seu capital de giro para pagar dívidas. É importante deixar claro para a prestadora de crédito a situação real da empresa e, caso não exista a possibilidade de quitar este débito futuramente, não feche negócio e procure outras formas mais drásticas de enxugar os gastos até quitar seus débitos.

Agora, com esses 5 passos você já sabe como administrar seu capital de giro corretamente. É claro que, caso não tenha experiência com números, é fundamental contar com os serviços especializados de um contador ou consultoria de negócios para descobrir os melhores caminhos a serem tomados para aumentar sua rentabilidade ou pagar suas dívidas.

Gostou de aprender um pouco sobre capital de giro e como administrá-lo? Se quiser saber mais sobre gestão de empresas, estratégias e planejamento, continue no blog! Para saber quais são as melhores formas de gerir e manter seu negócio, entre em contato com um de nossos consultores e comece agora a transformar sua empresa!

Summary
Capital de Giro: O que é e como administrar?
Article Name
Capital de Giro: O que é e como administrar?
Description
Um dos maiores desafios para uma empresa, principalmente se for de micro ou pequeno porte, é ter dinheiro em caixa para seguir com suas operações. Para isso, é fundamental que gestores e empreendedores saibam administrar o capital de giro com sabedoria.
Author
Publisher Name
Nodari Consultoria
Publisher Logo