Mais informações: +55 11 2367-0029 ou contato@nodariconsultoria.com.br

Gestão do Estoque: entenda do que se trata e quais os tipos mais usados

Você sabia que a qualidade da gestão de estoque pode significar a diferença entre o lucro e o prejuízo de uma empresa?

O estoque é um dos ativos mais significantes de um negócio. Independente do segmento de uma empresa, recursos produtivos e produtos acabados são indispensáveis para seu funcionamento.

A má gestão desses recursos pode afetar diretamente os resultados e, em algumas ocasiões, até a sobrevivência de uma empresa no mercado.

Para manter o estoque controlado são necessárias análises e planejamento, vai muito além de controlar entrada e saída de produtos e/ou recursos produtivos.

Leia Também: Capital de giro: o que é e qual a sua importância

Quer entender melhor sobre gestão de estoque e sua extrema importância para seu negócio? Continue sua leitura!

O que é gestão de estoque

O principal intuito da gestão de estoque é conseguir um prazo de pagamento para seus fornecedores compatível com os recebimentos.

Além disso, deixar o mínimo possível de “dinheiro” parado em mercadorias que não saíram ou em excesso de insumos.

Para que isso seja possível, é preciso ter os registros sistemáticos das entradas e saídas de itens. Com esses dados é possível realizar o controle físico e financeiro do que está armazenado e evidenciar informações sobre a quantidade de cada produto no estoque e seu respectivo valor.

Resumidamente, a partir desses e outros dados a gestão de estoque realiza as seguintes funções:

Para que tudo isso seja feito, as empresas utilizam ferramentas como controles manuais, planilhas, softwares ERP e atualmente os aplicativos SaaS (Software as Service).

Para aprender mais: Como garantir a vantagem competitiva no pequeno negócio?

Os 4 principais tipos de gestão de estoques 

PEPS (Primeiro a Entrar, Primeiro a Sair)

Esta metodologia usa a lógica de que os itens mais antigos no estoque sejam vendidos primeiro, para evitar a obsolescência deles.

Atualmente, o PEPS é um dos métodos mais usados entre as empresas. Ele valoriza o estoque de acordo com os preços praticados no mercado, aumentando ou reduzindo os preços dos itens no estoque de acordo com as tendências e necessidades.

UEPS (Último a Entrar, Primeiro a Sair)

Este método de gestão usa a estratégia de disponibilizar à venda os produtos com entrada mais recente no estoque.

Como se trata de uma maneira arriscada de gerir o estoque, exige métodos de controle minuciosos para garantir que a empresa não tenha prejuízos por más condições e perda de produtos.

Esse método é muito usado para produtos que têm alta oscilações de preços no mercado. 

Custo Médio

Por meio de médias ponderadas, este formato de gestão de estoques recalcula e renova o valor de todos os itens a cada entrada de um novo item.

A média ponderada é feita somando os valores dos produtos antigos e novos para então dividir este resultado pelo número total de itens no estoque.

O controle do estoque feito por meio do custo médio é muito indicado para empresas que comercializam produtos que sofrem poucas oscilações em seu preço.

Mas é necessário atenção e outros controles adicionais para garantir que o estoque não fique super ou subvalorizado.

Just In Time

Este método de controle de estoque trabalha na redução de custos por meio de um nível de estoque super reduzido, que é capaz de atender exatamente a demanda necessária.

Como neste tipo de gestão não há espaços para erros, é fundamental o acompanhamento rigoroso dos gestores para garantir que falhas abruptas não interrompam todo o processo produtivo, uma vez que o estoque possui exatamente a quantidade programada para um curto período.

Além disso, para que o just in time funcione perfeitamente é preciso contar com bons parceiros e fornecedores que cumpram à risca os prazos determinados e que possam atender às demandas extraordinárias.

Curva ABC

A Curva ABC se sustenta na manutenção do giro, faturamento e lucratividade do estoque.

Para isso, os itens são classificados em 3 categorias:

  • Tipo A: As mercadorias de maior importância para a empresa ou de maior valor. São os produtos que possuem um giro mediano e alta lucratividade.
  • Tipo B: São os itens com valor médio, por isso possuem menos importância que o Tipo A. Por isso, para esses itens é necessário um maior controle de quantidade, já que são os mais numerosos e possuem maior saída.
  • Tipo C: De todos os três tipos, os itens do tipo C são os menos valiosos e de fácil aquisição no mercado. Geralmente, são mantidos em pequenas quantidades para atender demandas.

Dica de leitura: 5 falhas que se deve evitar no pequeno negócio

A importância de ter uma gestão de estoque

Estoque cheio de mercadorias não é sinônimo de bons resultados ou empresa saudável, ao contrário, significa que existe dinheiro investido parado na empresa. Fazer a gestão deste ponto é criar a sustentação do negócio.

É garantir que tenha sempre o suficiente para atender todas as demandas e de acordo com o método utilizado nada a mais, nada a menos.

Além disso, controlar seu estoque permite o equilíbrio na compras, na armazenagem, nas entregas,  na sua utilização e no ciclo das mercadorias.

Agora, você está pronto para aprender mais sobre gestão de estoque e de toda sua empresa. Para isso, você pode navegar no blog da Nodari Consultoria que está cheio de informações úteis e enriquecedoras para seu negócio ou entre em contato com um de nossos consultores!

Summary
Gestão do Estoque: entenda do que se trata e quais os tipos mais usados
Article Name
Gestão do Estoque: entenda do que se trata e quais os tipos mais usados
Description
Fazer a gestão do estoque é fator decisivo para a saúde e controle de qualquer negócio. Quer aprender sobre o assunto? Leia o Post!
Author
Publisher Name
Nodari Consultoria
Publisher Logo